quarta-feira, 11 de junho de 2008

O Homen de Coragem

Brasil, uma terra de pouco dinheiro, um país com baixo IDH, um país subdesenvolvido, mas também uma terra onde existe gente honesta de coragem incapas de fazer mal aos outros, e principalmente mal aqueles que não tem como se defender.

Marcos é um desses homens que não tem coragem de fazer mal aos outros. Ele tem uma história de vida muito bonita onde ele teve que ter muita coragem.

Marcos Santos de Morais era um funcionário da prefeitura, trabalhava com um trator nas obras da prefeitura. Ele admitia que era um dos poucos trabalhos em que ele não ouvia muitas broncas do patrão, não que o seu trabalho era fácil, pois nenhum trabalho é fácil.

Um certo dia o patrão de Marcos pediu que ele derrubasse uma construção em nome da prefeitura, ele concordou e não questionou, mas ninguém tinha explicado que nesse terreno da prefeitura moravam pessoas, que “não tinham onde cair mortas”.

Quando chegou no local, e o seu supervisor apontou para um terreno onde havia varias pessoas, Marcos se recusou a derrubar o terreno. O supervisor estava explicando toda a história, que estás pessoas eram os famosos “Sem Terra” e que a prefeitura já havia enviados varias cartas para que eles evacuassem o terreno que ele seria derrubado, ele ouvira toda a história, mas mesmo assim se recusou a derrubar o terreno.A policia foi chamada, a imprensa logo chegou no local, só depois de uma ordem direta do capitão da policia, Marcos entrou no trator, funcionou o motor, e avançou uns dois metros, ele olhou no fundo dos olhos da família que olhava angustiada e sem poder fazer nada, quando Marcos olhou no fundo dos olhos de uma criancinha de uns dois anos, uma lágrima caiu de seu rosto e num gesto brusco tirou a chave do trator e jogou longe e se recusou a derrubar a casa.

Ele saiu de lá algemado mas ao mesmo tempo saiu aplaudido por todas as pessoas que ali estavam.

Marcos pegou dois anos de prisão por desacato a autoridade, foram os piores anos da sua vida. Logo quando Marcos ,depois de cumprir sua pena, saiu do presídio, uma surpresa toda a família de quem ele tinha que derrubar a casa estava lá para agradecer todo aquela coragem dele, e aquele terreno que antes era da prefeitura, a família conseguira tomar posse em tribunal, Marcos ficou muito feliz com a notícia.

Ele sempre pensava: “o que adiantaria eu derrubar aquela casa e toda vez que eu fosse dormir a minha consciência pesar, tudo bem, eu errei, paguei por isso, mas fiz o que eu achei certo, e hoje minha consciência está limpa”.

Lucas Rodrigues Menin Nº20 1ºA – Ensino Médio

Um comentário:

Colégio Elias Zarzur disse...

Parabéns, seu texto foi aprovado!